6 de jun de 2010

Atlético x Ceará

Até mais Mineirão...
Ingresso do último jogo.
Adeus Geral, até nunca mais!!
Coisas do futebol "moderno", é PROIBIDO pela Fifa assistir futebol de pé... não pode mais cerveja, torcedor comum não pode mais entrar com mastros plásticos de bandeiras, está PROIBIDO papel picado e papel higiênico, não pode mais fumar em butecos, está PROIBIDO... as proibições são assim, se sucedem. (não se assustem quando proibirem levantar e gritar no jogos!)

saudade da comidinha da "Tia"...

Galoucura homenageando o Estádio, nossa eterna casa.



Geraldinos.

Futuro garantido e protegido!
A 1a homenagem para Marques! Outras dezenas precisam vir... se é que ele não vai ser repatriado ao time, está fazendo muita falta (basta pegar o vídeo de Atlético X Sport no Mineirão pela Copa do Brasil e verão como ele ainda poderia jogar)



Torcida do Vovô Ceará, de volta à 1a divisão com muito merecimento, pela tradição do clube e pela torcida que possui!
Público pagante: 26.659
Fotos: André

1 de jun de 2010

Atlético X Fluminense


Na preliminar pela Taça BH de futebol Jr deu a lógica.
Entrada...
Galo é Brasil!



Bateria da Galoucura e Charanga do Atlético (a única de Minas).

Tradicionais bandeiras.



Público pagante: 15. 613
Fotos: André

26 de mai de 2010

2. História dos Galões

Parece piada, mas o dp de marketing do time do lado de lá, dizia que o mascote delas (que entra em campo fantasiado) foi o primeiro em Minas. Vejam abaixo e tirem as conclusões...

Na década de 60, torcedores já entravam com Galos no gramado, mas ainda não era uma fantasia, como as atuais.
No início da década de 1980, possivelmente em 83, surgiu o primeiro mascote fantasiado das Minas Gerais, e, claro, foi do Atlético. Veja o registro em uma foto da Revista Placar...
E foi capa desta revista em 1983, no hexa.
No final da década de 80, outro mascote entrava junto com o time e com as crianças...
foi o segundo da história.
Na década de 90, uma terceira fantasia começou a entrar em campo.
E finalmente nos anos 2000, o quarto mascote (presente nos gramados até hoje) esta sendo utilizado.
além do Galão inflável, que surgiu em 2002 e que também foi imitado. (elas colocam em cima da marquise do estádio)
O Grande Mangabeira foi o criador do galo como mascote do Atlético.
Antigas charges de Mangabeira...

Artistas famosos também já fizeram as suas versões, como estes 2 do escritor e cartunista de Caratinga, Ziraldo.

E o mais famoso, o Galo Volpi, do artista plástico italiano/brasileiro Alfredo Volpi.
Claro, a massa já levou nosso bravo mascote vivo para as arquibancadas...

E o grande artilheiro Guilherme entrou na onda...
Fonte das fotos: Revista Mineirão, Revista Placar, Hoje em Dia, atletico.com.br, Revista do Galo, camisadoze.net e Estado de Minas.

24 de mai de 2010

Atlético X Atlético Paranaense

Criançada presente em grande número no estádio, pena que não podem mais entrar em campo de mãos dadas com os jogadores... novas ridículas regras do "futebol moderno"






Entrada das bandeiras da Galoucura e mascote.

Dragões da F.A.O. (Força Atleticana de Ocupação)
Tarde calma, bela vitória do Galo.
Entretanto público pequeno. Os ingressos estão caros. 13 mil pagando 25 reais daria quase a mesma renda do que 25 pagando 10 reais. O que seria melhor para o time e para o Clube?
Está na hora do Kalil repensar esta sua política...

Público pagante: 13.464.
Fotos: André